Na última semana chegou em minhas mãos um software desenvolvido pela UFRJ para deficientes visuais.  O nome desse programa é DOSVOX.  É um programa como o próprio nome diz baseado em DOS.  Incorporado a esse programa vem algumas ferramentas importantes que auxiliam o portador de necessidades especiais a usar o PC sem maiores problemas.  Fiz alguns testes aqui no trabalho para poder aprová-lo.

A lista de possibilidades do programa são bem fartas.  O usuário pode executar algumas tarefas básicas como ler arquivo, excluir, imprimir, listar diretórios, enviar arquivos por email, compactar arquivos através de programas como o winzip e acessar a Internet.  E é justamente este último item que chamou minha atenção para um assunto que atualmente é de grande relevância.

Fui acessar alguns sites da rede e percebi que era impossível obter qualquer tipo de informação.  Inclusive alguns trabalhos desenvolvidos por mim.  São vários os empecilhos que os deficientes enfrentam para fazer uso da Internet.

São justamente esses empecilhos que me incentivaram a criar websites realmente acessíveis.  Um grande desafio está por vir.  Será que conseguimos criar sites informativos, atraentes e ao mesmo tempo funcionais a esse grupo especial de usuários?

Será necessário arquitetar e estruturar a informação de modo que o portador de deficiência visual consiga através dos programas leitores de tela disponíveis no mercado, como o DOSVOX se encontrar no meio dessas informações e tirar o máximo proveito da Internet.

Estou já há algumas semanas pesquisando algumas formas de estruturar as informações em um site.  Através do uso de CSS, e um novo método de se construir interfaces para web. Esse método ficou conhecido como Tableless (a grosso modo a tradução ficaria: Sem tabelas).  O método tableless é usado para criar layouts e organizar melhor a informação na tela sem o uso de tabelas e sim usando o CSS para diagramar essa informação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Formado em jornalismo e mídias digitais, mas trabalho com tecnologia há quase vinte anos. Crítico musical há quinze, já escrevi para algumas publicações no Brasil e em Portugal. Há onze anos sou jornalista responsável pelo portal Metal Zone. Quantos anos nesse parágrafo... Faço parte de “trocentas” redes sociais, instalo e fuço todo o tipo de apps, frameworks e plugins. Coleciono celulares e toda hora quero um gadget novo. Sou fã incondicional do Google e sua lista de quinquilharias: Buzz, Orkut, Android, Picasa, etc... Leitor e colecionador de Stephen King, Nelson Rodrigues, Vertigo e Bukowiski. Ouvia muito Iron Maiden, Helloween, Megadeth, Type O Negative e Engenheiros do Hawaii, atualmente ouço mais AC/DC, Metallica, Matanza, Lenine e Paradise Lost. Mas ouço diversos estilos de música audível: Jazz, Blues, Rock Nacional, Death Metal, Heavy Metal, Thrash Metal, Doom, Punk, Hardcore, MPB, Música Erudita, Bossa Nova e por ai vai... Considero-me amante da fotografia, só que clico mais shows. Geralmente quando faço a cobertura do evento para o Metal Zone. Adoro Jornada nas Estrelas, Guerras nas Estrelas, Arquivo X, Dexter, House e Supernatural. Filmes de ficção científica, terror, suspense e comédias. Assisto muito Shoptime, Discovery Chanel e algumas novelas (risos). Coleciono Box de séries, action figures, CDs, LPs, HQs, livros, miniaturas e por ai vai. Sempre dou pitaco nos jogos de futebol e pego no pé dos torcedores, mas não manjo nada de Futebol. Sou comprador assíduo de CDs, livros, revistas e eletrônicos, mas assíduo MESMO! Sou Católico e Fluminense por convenção, ou seja, já tenho as respostas certas para as perguntas comuns: - Qual time você torce e qual a sua religião? Ainda que devoto de São Jorge e Nossa Senhora Aparecida. E tenho interesse grande por religiões afro-brasileiras e cultura indígena sul americana, celta e nórdica. Também nutro um carinho especial pelo campeonato inglês e alguns times como: Santos, Internacional, Liverpool e Chelsea. Coleciono camisas de times e bandas de rock. Trabalho com comunicação e marketing digital além de desenvolvimento web há mais de dez anos. Recentemente montei uma empresa no esquema chique de home-office, com CNPJ e tudo o mais. Já atendo uma gama razoável de clientes. Tento há anos terminar um livro de ficção científica pós apocalíptica. Como tento também abraçar um monte de projetos ao mesmo tempo. Inclusive uma banda de Gângster-Splatter-Hardcore-Metal chamada Líquidos Cadavéricos. Esse nome eu tirei de um livro de medicina há muitos anos. Sonho em aprender a jogar poker, ter uma moto Honda Shadow 750C e cruzar a América do Sul e o México até a fronteira com os Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.