Escrevi recentemente essa resenha para o Metal Zone, mas para não deixar o Blog mais parado do que já está…

Black Sabbath - 13
Black Sabbath

Os três senhores responsáveis pela criação do Heavy Metal e com seus mais de sessenta anos de idade carregaram em suas costas nos últimos meses, todo o peso da responsabilidade e de toda uma história honrosa que o nome Black Sabbath carrega. A missão desses nobres senhores? Manter a tradição!

Senão bastasse, o guitarrista Tony Iommi luta contra o câncer, o vocalista Ozzy Osbourne trava sua batalha contra a recaída nas drogas e uma possível separação de sua esposa, Sharon Osbourne. E o mais notável: eles passaram dos 60 anos, mesmo com uma vida de exageros! E continuam tão bons como em 1970.

Esse trabalho já merece nota dez pelo esforço coletivo desses monstros sagrados da música, independente do estilo musical que o leitor ouça. Esses três senhores que compuseram 13: Ozzy Osbourne (vocal), Tony Iommi (guitarra) e Geezer Butler (baixo), estão na ativa desde meados da década de sessenta, só para não aprofundar muito em datas. E juntos foram responsáveis por compor músicas que serviram de alicerce para posteriormente outros músicos criassem inúmeros estilos musicais. Serviram de inspiração para centenas de músicos e até hoje são referencia para novas bandas.

E foi justamente esse trio remanescente da formação original, que juntos lançaram o álbum “Never Say Die”, o último trabalho de estúdio do Black Sabbath isso em 1978, há exatos 35 anos atrás.

No momento em que escrevo esse texto, penso no frio na barriga que esses senhores, mesmo que com uma experiencial musical de quase meio século, sentiram enquanto estavam compondo e gravando esse trabalho. Sabendo que o mundo do Rock/Metal aguardavam ansiosos pelo lançamento de 13.

Quando coloquei 13 para “rolar” no meu mp3 player, não deu para esperar a amazon despachar os originais, que os primeiros acordes de “End Of Beginning” já me prenderam!

A marcação do baixo de Geezer Butler é inconfundível, os riffs e solo do Tony Iommi ainda estão intactos e Ozzy, que nunca foi grandes coisas como vocalista, cantando como Ozzy. O que mais o ouvinte quer?

É Black Sabbath em sua essência. É aquele velho demônio adormecido nas profundezas mais obscuras e frias do inferno, que abre sua cripta, espalhando sombra e destruição enquanto se levanta e ainda consegue urrar para mostrar que está vivo e forte. Esse demônio NUNCA morreu!

A segunda faixa do play “God is Dead?”, já havia sido liberada há algum tempo atrás e serviu para aguçar a vontade de alguns pelo novo trabalho da banda ou apenas alimentar o ceticismo de outros.

Após mais de 16 minutos de música, isso mesmo, as duas primeiras musicas somam exatamente 17:01 minutos, a faixa “Loner” é mais um exemplo de peso absurdo e musicalidade bem no estilo Black Sabbath. Para quebrar o clima “Zeitgeist” é uma baladinha blues. E não tem como me fazer deixar de lembrar a música “Planet Caravan” do álbum Paranoid (1970).

As pedradas “Age of Reason” e “Live Forever” dão sequencia ao disco e são ótimas. Em “Age of Reason”, o baixo de Geezer divide bem o comando da marcha para a guerra, com as levadas pesadas de Tony Iommi. Os solos de “Live Forever” beiram o descomunal. É Tony Iommi transbordando criatividade e vivacidade. O guitarrista mostra que ainda é uma tremenda fábrica de riffs.

E para fechar o cd mais dois grandes sons: “Damaged Soul”, com sua levada cadenciada e cheia de blues, pesada e melancólica. Em “Dear Father” outro momento de peso do cd. Desta vez o destaque fica para o baterista do Rage Against the Machine, Brad Wilk.

O cd saiu em versão deluxe com mais três músicas: Methademic, Peace of Mind e Pariah. E os fãs brasileiros podem comemorar, pois o CD já está na pré venda nos principais sites de e-commerce do Brasil. O preço não está muito diferente do lançamento europeu ou americano. O álbum custa no Submarino R$ 33,90.

Sem sombra de dúvida que “13” é mais um tiro certeiro do produtor Rick Rubin, os incrédulos e chorões de plantão que se mordam. Esse lançamento pode figurar tranquilamente entre os melhores discos da fase Ozzy do Black Sabbath.

Agora resta para nós fãs aguardar as lojas enviarem nossos pedidos, para quem comprou 13 na pré venda e os shows da banda em outubro no Brasil.

Post original do Metal Zone: http://www.metalzone.com.br/site/resenhas/materia.php?sec=6&a=395&g=6&cod_materia=290

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Black Sabbath – 13 (2013)

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.